FROST

 

 

Sempre me perguntam que ácido/marca utilizo em meus tratamentos de peeling químico.

Eu uso desde 1998 os mesmos ácidos: Glicólico e Retinóico. 

Em todos os fototipo de pele! Porém, dependendo do fototipo de pele, tenho uns cuidados a mais.

 

Abaixo uma tabela que auxilia muito na avaliação do fototipo de pele.

Quando não se tem muita experiência em avaliar, esta tabela pode ajudar em muito, mas tenho certeza que com a experiência do dia a dia, esta avaliação torna-se muito mais fácil e rápida. Geralmente ao cumprimentar a paciente já observamos o fototipo de pele e se a pele esta inflamada e glicada.

 

Tabela de avaliação criada a partir do método de avaliação segundo Fitzpatrick.

 

HIPEREMIA NA PELE

Um dos segredos esta no quanto você pode ou não estimular a hiperemia na pele, pois determinadas manchas quando muito agredidas, desenvolvem um efeito rebote e hiperpigmentam. Ou segredo é cuidar com a formação de frost.

 

 

FROST

Alguns ácidos tem a característica de formar frost enquanto outros não.  No peeling com ácido glicólico, por exemplo, não pode ocorrer a formação do frost, já em peelings de média e profunda penetração, como o TCA e fenol o frost é desejado. Confira no vídeo abaixo uma pequena explicação sobre o frost.

 

 

 

 

 

TIPO DE MANCHA

Outro segredo é avaliar o tipo de mancha que o paciente apresenta. Manchas como cloasma/melasma a hiperemia desencadeada deve ser suave.

 

REGIÃO TRATADA

Em algumas regiões da face os resultados são mais rápidos que em outras. A região do arco zigomático é a primeira a dar resultado, enquanto os cantos da boca e buço os resultados são um pouco mais lentos. As vezes é necessário deixar de aplicar o ácido em determinadas regiões para evitar um hipersensibilização ou uma hipocrômia.

 

INFLAMAÇÃO E GLICAÇÃO

Outro fator importante é avaliar a inflamação/glicação da pele (créditos a Ludmila Bonelli, 2006). Em muitos casos, quando a inflamação e glicação estão controlados em pré tratamento (de forma tópica e oral), é possível observar o clareamento das manchas.

 

PÓS-PEELING

Outro segredo são os cuidados no pós-peeling. O controle da inflamação dos tecidos neste momento é fundamental, assim como o estimulo a regeneração tissular.

 

RESULTADOS EM PELE COM FOTOTIPO ALTO

Preparo da pele para uma ritidoplastia.

Protocolo realizado: Foram realizados sessões de peeling com ácido glicólico a 70% seguido da aplicação de ácido retinóico em algumas sessões na face toda e em outras somente sobre as manchas.

Associado ao uso de cosméticos domiciliares.

Número de atendimentos: 6

Tempo total de atendimento: 4 meses

 

 

 

RESULTADOS EM PELE NEGRA

Abaixo segue um estudo de caso de uma paciente de pele negra que tratei no ano de 2004.

As manchas apresentadas na face são em decorrência de uma cauterização de nevos.

Após a cauterização, ocorreu a formação de crostas e logo em seguida as manchas hipercrômicas.

Protocolo realizado: Foram realizados sessões de peeling com ácido glicólico a 70% seguido da aplicação de ácido retinóico somente sobre as manchas.

Associado ao uso de cosméticos domiciliares.

Número de atendimentos: 6

Tempo total de atendimento: 4 meses

 

 

Nos dois casos acima, foi utilizado os produtos da linha Menê & Moy System. Alpha e beta complex e o yellow peel.

Eu particularmente não gosto de produtos manipulados, prefiro os industrializados, mas há quem goste, e pra quem gosta é bom lembrar que as formulações não são nenhum segredo!

 

Associado ao uso de cosméticos domiciliares.

 

Lembrando que os ácidos são substâncias cáusticas que podem causar graves e irreversíveis lesões à pele. É fundamental que o profissional esteja devidamente habilitado e treinado.

 

 

Portanto não se aventure!

 

 

Please reload

Posts Em Destaque

HEMATOMA EM RITIDOPLASTIA E SUAS COMPLICAÇÕES

November 29, 2016

1/4
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags