FALANDO DE PRÉ E PÓS-OPERATÓRIO

 

 

Recentemente dei uma breve entrevista para o boletim informativo BONELLI NEWS, onde pude apresentar algumas situações de como atuo nos tratamentos de pré e pós-operatório. Essa minha participação na coluna PROFISSIONAL EM FOCO, compartilho aqui com vocês.

 

QUAL É O SEU DIFERENCIAL DE  TRABALHO COM OS PACIENTES DE CIRURGIA PLÁSTICA? 

 

Procuro sempre tratar a pele do paciente antes de uma cirurgia. O cirurgião plástico usa muito o termo "tratar", mas o tratar na visão do cirurgião é focado em remover o excesso de tecido gorduroso e em seguida remover os excessos de pele. Com isso o cirurgião remodela um corpo ou face, porém a pele propriamente dita não está tratada. Se a paciente está envelhecida, flácida, muito provavelmente esta com o tecido inflamado, glicado e com fragilidade capilar. Precisamos primeiramente reverter este quadro, melhorando a condição da pele como um todo e, dessa forma, a pele suportará melhor todo o trauma cirúrgico. 

Um exemplo clássico que a pele necessita sim de um preparo prévio para suportar toda a tensão no pós-operatório é o surgimento das estrias no pós-inclusão de prótese mamária. Se o cone mamaria tivesse passado por um tratamento prévio, provavelmente as estrias não surgiriam ou então, em menor intensidade. 

Em um pré-operatório o primeiro passo é melhorar a qualidade do colágeno e elastina, com o uso de um antiglicante (tópico e oral) com algumas restrições alimentares e fortalecer a parede vascular. 

 

QUAL O SEU FOCO PRINCIPAL NO PÓS-OPERATÓRIO?

 

Estimular a rápida absorção das equimoses e do edema, prevenindo assim a formação de fibrose intensa.  Durante a lipoaspiração, a cânula desencadeia no tecido gorduroso, vários túneis. Estes túneis ficam encharcados de sangue, que irá inicialmente coagular e na sequência este tecido gorduroso passará por um processo de cicatrização. Se o acúmulo de sangue nestes túneis for pequeno, menor será o processo de cicatrização local com menor formação de fibrose. 

No pós-operatório imediato é de suma importância uma compressão uniforme dos tecidos operados através da cinta modeladora e de uma placa bem adaptada, além do estimulo da absorção das equimoses. Outro ponto importante é a absorção do edema o mais rápido possível, não deixando que este se torne duro. 

Antes de realizar a drenagem linfática manual, trato a pele agredida com o uso de cosméticos. Em alguns casos é necessário remover as células mortas através de uma esfoliação bem suave. 

Em seguida, por toda a região operada, realizo uma massagem muito suave com um cosmético que contenha ativos específicos para a proteção e revascularização do vaso lesionado, ação anti-inflamatória e drenante. Todos estes requisitos encontro no cosmético REDUCT, que acelera a absorção das equimoses e a absorção do edema. 

 

Espero que essa minha colaboração para o boletim BONELLI NEWS, também tenha contribuído com você.

Agradeço novamente a toda equipe do informativo, e também a toda direção da Belle Benelli (www.bellebonelli.com.br) pela oportunidade em fazer parte do material desse trimestre.

 

 

 

 

Please reload

Posts Em Destaque

HEMATOMA EM RITIDOPLASTIA E SUAS COMPLICAÇÕES

November 29, 2016

1/4
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags