2ª Edição do Iivro DRENAGEM LINFÁTICA MANUAL NO PÓS-OPERATÓRIO

É com muito orgulho que apresento a segunda edição do meu livro de “Drenagem linfática manual no pós-operatório das cirurgias plásticas”.

 

O conhecimento da anatomia e fisiologia do sistema linfático é essencial para a realização da técnica no pós-operatório, por isso inicio o livro com dois capítulos sobre o sistema linfático.

 

Assim como na primeira edição, nesta também abordo o tema sobre os retalhos cutâneos, pois é entendendo a fisiologia dos retalhos que entendemos todo o mecanismo do trauma cirúrgico, da formação do edema, da aderência do retalho e da recuperação do tecido.

 

O profissional que trabalha com pós-operatório deve ter conhecimento sobre as técnicas cirúrgicas realizadas pelo cirurgião plástico, para isso fiz uma sequencia de seis capítulos sobre as principais técnicas cirúrgicas e como realizar a drenagem linfática no pós-operatório.

 

Nesta segunda edição, além de uma revisão bibliográfica atualizada, inseri um capítulo sobre a autodrenagem, pois quando temos a colaboração do paciente em casa, podemos ter uma recuperação mais rápida.

 

E finalizo com um capítulo com noções básicas de um dos mais recentes recursos que potencializam a drenagem linfática, o taping linfático, também conhecido por linfotaping. Uma técnica que, quando bem aplicada, acelera a absorção do edema e equimoses e ainda previne possíveis fibroses.

 

 

 

 

O QUE HÁ DE NOVO:

 

Uma atualização sobre o tempo de revascularização linfática.

 

 

Atualização sobre a aderência do retalho cutâneo:

... A aderência do retalho cutâneo se dá por uma fina malha de fibrina. Esta malha de fibrina é infiltrada por fibroblastos que transformam a adesão tênue em uma conexão definitiva por tecido fibroso. No quarto dia de pós-operatório, tem-se uma aderência que permite o manuseio da área.

 

 

 

 

Um capítulo com uma introdução ao taping linfático:

... A utilização deste recurso potencializa os resultados, diminuindo o número de atendimentos realizados em pós-operatório. A absorção do edema é muito mais intensa, assim como a absorção das equimoses e como consequência, uma menor formação de fibrose.

 

 

Um capítulo sobre a autodrenagem:

... A autodrenagem é uma técnica muito simples que o paciente pode realizar logo que acorde da anestesia e sinta-se bem. Trata-se de umas manobras de bombeamento na região dos linfonodos em pontos específicos do corpo, associado com alguns movimentos respiratórios.

 

 

 

 

 

Especificações do livro:

Drenagem linfática manual no pós-operatório das cirurgias plásticas

Vitória Gráfica & Editora

2º edição- ano 2016

ISBN 978-85-61817-48-0

160 páginas

85 desenhos

 

Para adquirir o livro AGORA, clique aqui.

 

Espero que esta obra seja de grande valia para a sua formação ou complementação de seus estudos.

Boa leitura!

 

Angela Lange

 

Please reload

Posts Em Destaque

HEMATOMA EM RITIDOPLASTIA E SUAS COMPLICAÇÕES

November 29, 2016

1/4
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags